WONCA Europa 2014

Conferências congregam milhares de médicos de família

    As conferências, mesas redondas e workshop do 19º Congresso Europeu de Medicina Geral e Familiar – WONCA Europa 2014 – congregam, todos os dias, milhares de médicos de família de todo o mundo no Centro de Congressos de Lisboa. O número de participantes ultrapassou os 3.700. Destes, cerca de 35% são jovens médicos de família, cujo envolvimento nas atividades do Congresso se tem revelado particularmente intenso.

    No penúltimo dia da WONCA Europa 2014, a conferência de Carl-Edvard Rudebeck, tutor de investigação no condado de Kalmar e docente de Clínica Geral no Departamento de Medicina Comunitária da Universidade de Tromsø (Noruega), sobre a importância das palavras e do corpo na consulta, foi especialmente motivadora. Autor de vários estudos sobre a interação médico e doente e co-autor do livro “Medical Humanities Companion – Diagnosis”, Rudebeck falou sobre o papel da empatia no diagnóstico e nas dificuldades que os médicos sentem em partilhar a experiência dos sintomas corporais dos seus pacientes. Os sintomas são sempre experienciados por pessoas reais, apontou. No entanto, muitas dessas experiências são mediadas pela linguagem, cultura e expetativas. Nesse sentido, o médico de família defende que é essencial encorajar o paciente a relatar os seus sentimentos e fazer com que este sinta que a sua narrativa constitui o prelúdio de um entendimento cumulativo e de uma resposta humana à doença.


         

    A gestão do conhecimento foi o tema de outra das conferências principais do 19º Congresso Europeu de Medicina Geral e Familiar. Para Kamran Abassi, editor internacional do British Medical Journal, aquele é um fator crítico para o desenvolvimento da Medicina Geral e Familiar.

    Contudo, na área da Medicina, todos os dias são publicados oito mil novos artigos e impressos 25 mil jornais médicos. Como manter-se atualizado numa área tão vasta quando, só para a Medicina Geral e Familiar, as normas de orientação clínica, em resmas de papel, deverão pesar cerca de 30 quilos?

    “Impossível, difícil, chocado, deprimido, saturação, exaustão, stress, importância vital…” são alguma das palavras utilizadas pelos médicos para descrever os seus sentimentos perante este imenso manancial. E o pior é que, apesar desta sobrecarga de informação, frequentemente não conseguem encontrar o que precisam. Na perspetiva de Kamran Abassi, este é um problema que eventualmente somente poderá ser ultrapassado através da aquisição de novas capacidades em termos da utilização de ferramentas de pesquisa e das bases de dados, com o recurso às novas tecnologias.