Com vista a contribuir para a educação sobre a Hepatite C:

Gilead Sciences lança em parceria com a APMGF materiais informativos

    A Gilead Sciences lançou durante o 34º Encontro Nacional de MGF e em parceria com a APMGF materiais informativos sobre a Hepatite C para ajudar os médicos de família a manterem-se atualizados sobre o tratamento e encaminhamento destes doentes.
     
    “A importância que a MGF tem neste contexto da hepatite C está muito relacionada com a dispersão que caracteriza a doença. Sabemos que existem determinados núcleos da população identificados, cuja via de transmissão foi mais simples de circunscrever (consumidores de drogas, pessoas vivem em ambientes prisionais, etc.), mas existem outras pessoas que acabaram por ser contaminadas pelo vírus e que fazem parte da população em geral. Todos nós, infelizmente, podemos entrar em contacto com o vírus e ficar infetados, após uma transfusão sanguínea ou uma cirurgia, por exemplo. Como esta é uma doença silenciosa, muitas destas pessoas não têm consciência que são portadoras do vírus e é neste âmbito que o trabalho dos profissionais dos cuidados de saúde primários é tão importante”, sublinha Miguel Vieira, diretor da Unidade de Hepatite da Gilead Sciences.
     
    De acordo com o mesmo responsável, “estes são materiais sobretudo para a educação da doença. Sabemos que a MGF lida com muitas outras doenças no dia-a-dia e que está perfeitamente capacitada para as gerir. Contudo, tem existido uma grande evolução relativamente ao conhecimento desta doença nos últimos anos e, portanto, criámos estes veículos de informação que permitem aos médicos de família atualizarem-se e ter um nível educacional sobre a hepatite C mais avançado”.
     
    Nuno Jacinto, secretário da Direção Nacional da APMGF, recorda que “como em relação a muitas outras doenças, os médicos de família têm um papel primordial no contacto com estes doentes e na prevenção e diagnóstico desta doença. A hepatite C é uma patologia em relação à qual o conhecimento tem aumentado e dispomos hoje de capacidades de tratamento e até de cura que não existiam no passado, pelo que a nossa intervenção pode, no presente, ser muito maior. Nesse sentido, o facto de dispormos de materiais que nos informem e que informem os doentes sobre como podem as pessoas ser testadas, quando e com base em que tipo de teste de diagnóstico, acaba por ser algo de muito importante, por forma a incrementarmos o tratamento e a cura da hepatite C”.
     
    Poderá consultar aqui a Brochura e o Folheto intitulados "A hepatite C pode ser curada".